Determinação e uma coleção de títulos

Um verdadeiro colecionador de títulos. Essa é a melhor definição para o cavaleiro paraequestre do BCC Sérgio Oliva. Campeão Mundial, oito vezes Campeão Brasileiro e com um currículo de dar inveja a maioria dos atletas de ponta, Sérgio segue uma rotina rígida de treinamentos. Sua determinação o levou a vários lugares do mundo e, mesmo com tantas conquistas, o desejo desse jovem atleta pela vitória continua grande. Recentemente, nos dias 22 a 25 de março, Sérgio levou o Campeonato Brasileiro de Adestramento Paraequestre. O evento foi realizado no Centro Hípico do Gama – DF. Ele foi campeão no estilo livre com música e por equipes.

Nesta edição do informativo BCC, conversamos com Sérgio Oliva e descobrimos quais são os próximos objetivos para 2018. Foi um bate papo agradável que você confere logo abaixo.

BCC – Como está sendo o ano de 2018 e quais os próximos desafios?

Sérgio Oliva – Já disputei o Brasileiro umas 15 vezes e fui campeão umas oito. Me sinto feliz com os resultados. Estou me preparando para a seletiva do Mundial, que ocorrerá na Bélgica, na cidade de Waregem. O Mundial será entre os dias 11 a 23 de setembro, na Carolina do Norte – USA. Meu sonho é ser campeão paralímpico. Isso é uma honra para poucos e desejo buscar essa glória. Mas de toda forma, a meta agora é buscar o bicampeonato mundial.

BCC – Como é sua rotina de treinos aqui no BCC?

Sérgio Oliva – Treino de terça a sexta-feira, de 8h às 9h15. Faço ainda academia, trabalho psicológico e fisioterapia para prevenção. No período da tarde, me dedico ao trabalho no Tribunal de Justiça do DF – TJDFT, onde sou servidor.

BCC – Qual o segredo de todo esse sucesso?

Sérgio Oliva – Minhas conquistas têm muitos responsáveis. Agradeço o apoio do BCC, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, aos patrocinadores Chevaux, Laboratórios Sabim, Loterias Caixa, o programa Bolsa Atleta (Ministério do Esporte) e, principalmente, à minha família, que sempre me apoia. Destaque para a minha mãe, companheira de todas as horas, e para a Marcela, minha treinadora e Diretora de Equitação Especial da Confederação Brasileira de Hipismo. Agradeço ainda ao Tribunal de Justiça, que me ajuda durante as competições me liberando.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support